CDs mais esperados do ano!

Esse ano foi e ainda é o ano em que milhares de fãs de rock aguardaram os novos CDs de bandas que prometeram não fazer feio em 2009. Dentre elas, estão as bandas Muse e Arctic Monkeys, que, como prometeram, não deixaram seu público na mão, lançando seus novos discos com faixas inéditas e muito mais elaboradas do que as dos seus CDs anteriores.

Segue abaixo informações adicionais acerca dos 2 discos.

1º Arctic Monkeys - Humbug [3º álbum deles]


Para os fãs do Arctic Monkeys, uma boa e uma má notícia. Primeiro, a notícia ruim: "Humbug", novo álbum do grupo de Sheffield (Inglaterra), lançado na semana passada, é bem menos enérgico e vibrante do que os anteriores "Whatever People Say I Am, That's What I'm Not" (de 2006, e, até hoje, o disco de estreia mais rapidamente vendido no Reino Unido) e "Favourite Worst Nightmare" (2007). Em compensação, a boa nova é que os integrantes da banda, ao mudarem drasticamente a sonoridade habitual da banda, nunca soaram tão criativos.

A aposta de "hit" do CD foi "Crying Lightning" que até teve um clipe lançado que, na minha opinião, deixou muito a desejar com Alex Turner com aquele cabelo seboso e a produção meio fraquinha. As melhores músicas desse CD são, na minha opinião: Dangerous Animal [Faixa 3], My Propeller [Faixa 1] e Fire and the Thud [Faixa 6].


Muse - The Resistance

Quem acompanhou todo o processo de criação e divulgação de The Resistance, esperadíssimo disco novo do Muse, desde as primeiras declarações da banda quanto à sonoridade do novo álbum, até os previews de 30 segundos de cada música que foram divulgadas no MySpace da banda, não deve ter ficado muito surpreso com o resultado final do quinto disco de estúdio do trio inglês. Todas as propostas iniciais do álbum, que eles passaram dias e dias prometendo pelo Facebook, estão lá: letras com enfoque em conspirações, união das pessoas e, é claro, amor; um clima de grandiosidade beirando o exagero na maioria das faixas; evolução musical; e pianos, muitos pianos, principalmente na faixa de número 8 "I Belong To You (+ Mon Coeur S’Ouvre A Ta Voix)".

O primeiro single do disco, “Uprising”, mostra que a banda continua, em The Resistance, do lugar em que parou em Black Holes and Revelations, em que a épica “Knights of Cydonia” o fechou brilhantemente. Há quem diga que com as faixas "Exogenesis" divididas em partes o fechamento do CD ficou perfeito. Se querem saber a minha opinião, eu não consegui nem ouvir a III Parte de tão tedioso que estava. Mas as outras músicas compensam e MUITO as 3 Exogenesis. Na minha opinião as melhores faixas são: "MK Ultra", "Unnatural Selection" e "Uprising".

Enjoy.

2 comentários:

Rebecka disse...

Concordo com o cabelo seboso do Turner...BIZAAARRO! [Nem ouço Muse, logo nada a declarar]

maria lucia disse...

tomara q os novos cds não decepcionem!
adorei o blog!

Postar um comentário